Cineasta Homenageada

A comissão organizadora do 8º Festival Internacional do Filme Etnográfico do Recife homenageia a cineasta Adelina Pontual nessa edição do Festival pelo conjunto de sua obra e importante contribuição ao cinema pernambucano e pela maneira profunda e sensível que trata de questões urbanas em seus filmes.

“O trajeto dura, aproximadamente, 1 hora e meia, desde o Terminal de Rio Doce até o ponto de retorno na Cidade Universitária. No filme, fazemos a ida e a volta. Fiz uma grande pesquisa, fazendo a viagem várias vezes e caminhando por todo o itinerário também. Conversando com pessoas e fotografando lugares que achava interessante, sem nunca fugir do percurso do ônibus. A idéia sempre foi fazer um roteiro cíclico, saindo de manhã do terminal e voltando ao entardecer, como se fosse uma única viagem. E durante o percurso, fazer as “paradas exploratórias”. Claro, que durante as filmagens o elemento surpresa, característico de todo documentário, esteve presente. “Acredito que moradores de “grandes” cidades irão encontrar pontos em comum nas questões urbanas levantadas. Além de ser um olhar diferente sobre essas duas cidades, descobrir Recife e Olinda através de uma ótica mais cotidiana e nada turística. O filme tem também uma trilha sonora encantadora, sob a direção musical de DJ Dolores e Yuri Queiroga, que reuniram algumas bandas pernambucanas como a Eddie e Ska Maria Pastora para “acompanhar” os “passageiros” nessa viagem”.

Sobre o Cinema Pernambucano

“O cinema pernambucano está passando por uma excelente fase. E isso é maravilhoso para todos nós que produzimos audiovisual aqui. Estive com meu curta ReTrato no Festival de Tiradentes este ano e haviam muitos filmes pernambucanos (curtas e longas) na programação. Também, nos debates, nossa produção sempre era citada, como quase um paradigma para os outros estados. Que continuemos assim: produzindo muito e de maneira diversa”.

O Pedido, Re-Tratos, Rio Doce-CDU

Por enquanto, quero me dedicar ao lançamento do Rio Doce/CDU e do meu curta RetraTo. Tenho dois projetos de curtas que quero deslanchar para o próximo ano: um de ficção (fechando a Trilogia da Imagem, iniciada com O Pedido e ReTrato) e um documentário. Também estou finalizando uma trilogia de documentários para TV sobre Genivaldo di Pace, esta grande figura a quem o audiovisual pernambucano deve muito.

Vale a pena rever:
Entrevista com Adelina Pontual https://youtu.be/U5s7aUomSqk

Filmografia de Adelina Pontual

Direção
Rio Doce-CDU, 2013
ReTrato, 2012
O Pedido, 2011
Cultura do Açúcar, 2006
Veio, 2005
Assombrações do Velho Recife, 2001
O Brasil em Curtas 06 – (Curtas Pernambucanos) 1996
Cachaça, 1995
Punk Rock Hardcore, 1995

Trabalhos como Roteirista e Diretora:

Rio Doce/CDU – Documentário. Digital. 72min. 2013.
ReTrato – Ficção. 35mm. 16min. 2012.
Véio – Documentário. 35mm. 20min. 2005.
Cultura do Açúcar – Documentário. Digital. 30min. 2005.
Vozes do Morro – Documentário. Digital. 26min. 2002.
Outro Lobisomem – Ficção. 16mm. P/B. 4min. 2001 – Episódio do Curta Assombrações do Recife Velho.

(Só Direção – Roteiro de Bráulio Tavares).
O Pedido – Ficção. 35mm. P/B. 15min. 1999.
Cachaça – Ficção. 35mm. 13min. 1995.
Punk Rock Hard Core – Alto José do Pinho – É do Caralho! – Documentário. Betacam. 13’30”. 1995 – Co-roteiro/direção com Marcelo Gomes e Cláudio Assis .
Samydarsh: Os Artistas da Rua – Documentário. Betacam. 12’20”. 1993. – Co-roteiro/direção com Marcelo Gomes e Cláudio Assis.
El Monstruo – Ficção. 16mm. 16min.1991.

Continuísta
A Pedra do Reino (TV Mini-Series)
Carandiru, 2013
Behind the Sun, 2001
Central do Brasil, 1998
Un lugar limpio y bien iluminado, 1991

Séries para Televisão (direção/roteiro):

Índios no Brasil – Documentários. 26min. 2017. Episódios: Potiguaras, Wassu Cocal, Atikuns, Tumbalalá, Pankararus e Kambiwás.

O Homem por trás da Cena – Documentários. 26min. 2015. Série de 3 documentários sobre Genivaldo Di Pace, produtor e grande mecenas das artes em Pernambuco. (inédita)

Teimosia da Imaginação – Documentários. 26min. 2011. Episódio Véio – Sertão esculpido na Memória. TV Cultura/TAL.

Cultura do açúcar – Documentários. 26min. 2010 – Série de 3 documentários para Fundação Joaquim Nabuco – TV Escola.

Nordeste Feito à Mão – Documentários. 30min. 2002 – Série de 10 documentários para televisão sobre artesanato nordestino. Exibida pela TV Cultura, TV Câmara e TV Senado. Direção Geral: Isabela Cribari.

Assombrações do Recife Velho – Ficções. 4min. 2000 – Dirigiu dois episódios da série: A Velha Branca e o Bode Vermelho e Outro Lobisomem. (roteiros de Bráulio Tavares). Série exibida pelo Canal Brasil.

Indústria Cultural – Documentários. 30min. 1998 – Dirigiu dois programas: Novas Tecnologias da Imagem e Fotografia. Série exibida pela TV Cultura de São Paulo e TV Educativa do Rio de Janeiro.

Edição/montage
Palabras de Mujer, 1990

Como Atriz em
Henrique, 1987, filme de Cláudio Assis