CAC/UFPE
dagi1920.ufpe@gmail.com

Como identificar Fake News?

Como identificar Fake News?

Vamos falar de Fake News?! Vem com a gente.

Em tradução livre do inglês o termo Fake News significa “notícias falsas”, sendo utilizado, assim, para definir boatos, rumores ou notícias imprecisas publicadas, principalmente, na internet. O termo ganhou grande repercussão e destaque a partir das eleições presidenciais dos Estados Unidos no ano de 2016 em que conteúdos falsos sobre a candidata Hillary Clinton foram compartilhados de forma intensa pelos eleitores de Donald Trump. Porém, vale ressaltar que notícias falsas, boatos e histórias fabricadas, não são problemas que surgiram na atualidade. Darnton (2017) relembra o surgimento dos pasquins, na Itália do século XVI, que se transformaram em um meio para difundir notícias, em sua maioria falsas, sobre figuras públicas.

Agora você já tem uma definição completa sobre o que é Fake News e o conhecimento de que não é um fato atual, mas, juntamente com a palavra Fake News vemos muito falar em Desinformação, afinal, qual a diferença entre Desinformação e Fake News?

A desinformação não é necessariamente falsa; muitas vezes, trata-se de distorções ou partes da verdade. Pode-se citar como exemplo uma charge que possua um contexto que o leitor não entenda, levando-o a desinformação, assim, a Desinformação, necessariamente, o intuito de manipulação como ocorre com as Fake News que são já criadas com essa finalidade.

Mas e como identificar Fake News? Segue algumas dicas para vocês:

  • Avalie a fonte, o site, o autor do conteúdo: muitos sites publicadores de fake News têm nomes parecidos com endereços de sites de notícias. Portanto, avalie o endereço e verifique se o site é confiável, missão. Também veja se outros conteúdos do site também são duvidosos.
  • Avalie a estrutura do texto: site que divulgam fake News costumam apresentar erros de português, de formatação, letras em caixa alta e uso exagerado de pontuação.
  • Preste atenção na data da publicação: veja se a notícia ainda é relevante e está atualizada.
  • Leia mais que só o título e o subtítulo: leia a notícia até o fim. Muitas vezes, o título e o subtítulo não condizem com o texto.
  • Pesquise em outros sites de conteúdo: duvide se você receber uma notícia bombástica que não esteja em outros sites de notícia.
  • Veja se não se trata de site de piadas: alguns sites de humor usam da ironia para fazer piada.
  • Só compartilhe após checar se a informação é correta: não compartilhe conteúdo por impulso. Você é responsável pelo o que você compartilha.

Depois de ver todas essas dicas, você deve estar se perguntando, será que existem ferramentas para facilitar o processo de checagem? Existem, sim! Vem conferir:

Fake Check

O detector de Fake News Fake Check é uma plataforma que foi criada pela junção de pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Diferentemente de uma agência, a plataforma utiliza aprendizagem de máquina e inteligência artificial para avaliar se um texto é verdadeiro ou falso.

Para entrar em contato com o Fake Check, basta apenas enviar uma mensagem para o bot do WhatsApp através do número (16) 98112-8986.

Agência Pública – Truco

Fundada em 2011 por mulheres jornalistas, a Agência Pública é uma instituição sem fins lucrativos que avalia notícias com temas que envolvem administração pública e defesa dos direitos humanos. Ela é responsável por avaliar diversas falas de políticos, classificando-as em diversas categorias como verdadeiro, sem contexto, discutível, exagerado, subestimado, impossível provar ou falso.

Agência Lupa

A Agência Lupa é primeira do setor de checagem de fatos do Brasil a ser criada no Brasil. Ela está ligada ao site Folha de S. Paulo e seus trabalhos estão diretamente ligados a fatos compartilhados em período de eleição.

Para entrar em contato com a Lupa, basta mandar uma mensagem no Facebook diretamente para o Messenger, que o bot irá auxiliar a avaliação das informações  como verdadeiras ou falsas.

A ATUAÇÃO DO GESTOR DA INFORMAÇÃO NESSE CONTEXTO

“Na sociedade da informação os sujeitos que possuem habilidades e competências em buscar, acessar, recuperar, compartilhar e se apropriar da informação, destacam-se em relação a outros sujeitos” (SANTOS; DUARTE; LIMA, 2014, p. 38). Esse conjunto de habilidades é denominado por Pinheiros e Ferrez (2014) como “competência em informação”. Assim, a atuação do gestor da informação é de grande importância para que seja possível amenizar o problema, dado que é um profissional capacitado para lidar com questões dessa natureza, exercendo a  função de analisar os conteúdos, de garantir a qualidade da informação, de apresentar soluções utilizando-se das fontes de informação para resolver o problema

REFERÊNCIAS

OLIVEIRA, Sara Mendonça Poubel de. Disseminação da Informação na era das Fake News. Artigo publicado no V Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Gestão e Ciência da Informação das Regiões Sudeste, Centro-Oeste e Sul. Belo Horizonte, 2018. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/viewFile/3771/2161>. Acesso em: 01 jul. 2020.

OLIVEIRA, Adriele Marques. A Problemática da Desinformação e das Fake News na Contemporaneidade. IX ENCONTRO DE ESTUDOS SOBRE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E GESTÃO DA INFORMAÇÃO. Recife, 2019. Disponível em: < https://drive.google.com/file/d/18ZIQGQlAYarCMj2i4mT_2exZhYZNb6FL/view>. Acesso em: 02 jul. 2020.

PINHEIRO, Lena Vania Ribeiro; FERREZ, Helena Dodd. Tesauro Brasileiro de Ciência da Informação. Rio de Janeiro; Brasília: Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), 2014.

FONTES: